quarta-feira, 12 de abril de 2017

Um Escândalo de Amor

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Ele queria um bebê, não uma amante.

Tony Austin não desejava ter uma esposa, mas queria muito ter um filho.
O que ele precisava era de uma mulher que gerasse e carregasse seu bebê até o nascimento e depois desaparecesse de sua vida para sempre...Ela queria um amante, não um bebê.
A última coisa que Olívia Anderson desejava na vida era um marido e filhos.
Tudo com que ela sonhava era passar uma semana ou duas de paixão nos braços de um homem absolutamente maravilhoso, que despertasse a sensualidade que pulsava em seu corpo e em sua alma. E teria sido o encontro perfeito...Escandaloso, mas perfeito. No entanto, Tony e Olívia esqueceram-se de que a paixão podia fugir ao controle racional, fazendo com que o amor chegasse sorrateiro mesmo na vida daqueles que acreditavam ter escolhido o caminho perfeito para conquistar um ideal...

Capítulo Um

Sim. Aquela era a mulher perfeita para ter um filho seu! Tony Austin deduziu e continuou a encará-la, analisando-lhe a fisionomia e também as curvas generosas do corpo esbelto. Claro que já havia feito isso antes, mas agora estava sendo mais detalhista.
Ela não era bonita, mas até aí tudo bem, porque beleza não era essencial para os planos de Tony. Contudo, o charme e a inteligência de Olívia Anderson eram impressionantes. Talvez fosse por isso que a tivesse escolhido sem pensar duas vezes.
Finalmente depois de muito tempo, Olívia percebeu que estava sendo observada. 
O leve sorriso que brincou no canto dos lábios femininos deixou-o sem fôlego, mas Tony meneou a cabeça de um lado para outro, decidindo que sua excitação estava mais ligada ao plano que idealizara do que a qualquer outro interesse pessoal... ou sexual que pudesse nutrir por ela.
E não poderia ser diferente!
Como sempre, Olívia estava elegante, usando um discreto vestido de seda preta e sapatos de salto alto, mas este detalhe tinha pouco ou quase nada a ver com a decisão que Tony tomara.
Embora não fizesse a menor ideia do que estava acontecendo, Olívia era parte integrante dessa decisão.
Tony esfregou as mãos com nervosismo ao ver que a hora da abordagem estava se aproximando. 
Ele a conhecia há três anos, tinham negócios em comum, e também sabia que Olívia só frequentava aquele tipo de festa por causa de seus interesses profissionais. O relacionamento que mantinham não possuía nada de pessoal e por mais contraditório que pudesse parecer, era assim que Tony gostaria que continuasse.
Há apenas dois dias, Olívia lhe apresentara uma proposta de expansão de seus negócios, ou seja, ela pretendia abrir mais uma de suas lojas de lingeries especiais em outra filial dos Hotéis Austin Crown, que pertenciam a Tony e a sua família.
Ele ainda não lhe dera uma resposta, mas estava prestes a fazê-lo. Seria esta noite. Claro que juntamente com esta resposta iria propor o negócio que mais lhe interessava...
Pela primeira vez em muitos anos, Tony ficou nervoso ao se aproximar do momento em que teria de fazer uma proposta de negócios. Então, Olívia começou a caminhar em sua direção, com aquele seu charme peculiar e tudo em que ele conseguiu pensar foi no lindo bebê que poderiam gerar juntos.
Automaticamente, os lábios carnudos se abriram num sorriso sensual.
“Ele vai concordar com a abertura de minha loja!”




Mestre da Inocência

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
O diamante mais puro!

O renomado magnata Diego Cazorra aceitou de bom grado acompanhar a freira Clare Marchant em uma missão pelo Brasil. 
Por mais que o olhar inocente de Clare seja uma enorme tentação, Diego está decidido a manter-se afastado... Até descobrir que ela estava apenas disfarçada para tentar salvar a irmã de um sequestro. 
Para resgatá-la, Diego oferece um inestimável diamante. Agora Clare tem uma dívida com esse notório playboy, e ele pretende cobrar!

Capítulo Um

— Irmã Ann, preciso mesmo usar um hábito? — perguntou Clare Marchant à Madre Superiora.
— Minha filha, para a sua segurança, você deve se vestir como freira. Torrente é um dos lugares mais perigosos do Brasil. A proximidade da fronteira com a Colômbia o tornou uma rota de tráfico de drogas e pessoas, um lugar sem lei. Os bandidos têm pouco respeito à vida, mas ainda têm algum respeito pela igreja. — Ela sorriu. — Você veio da Inglaterra para o Brasil com a intenção altruísta de procurar sua irmã e pagar o resgate que os sequestradores exigiram por ela. Está bravamente preparada para se colocar em perigo para ajudar um ente querido, e ao menos a igreja pode lhe oferecer alguma proteção. Mas não esqueça que os homens que levaram Becky são implacáveis.
Clare acompanhou o olhar da freira até o que parecia uma caixa de joia sobre a mesa, e uma sensação de náusea a dominou quando ela imaginou o terrível conteúdo da caixa, a ponta decepada de uma orelha. Certamente não era a orelha de Becky. Clare não conseguia imaginar sua linda irmã mutilada pelos homens que a haviam sequestrado diante do hotel cinco estrelas no Rio de Janeiro, onde Becky estivera numa sessão de fotos.
Clare se olhou no espelho. O hábito cinza que a irmã Ann lhe emprestara ia até os tornozelos. Ela viu a irmã colocar um véu sobre sua cabeça. Com seu cabelo castanho-avermelhado coberto, ela parecia diferente, embora as sardas em seu rosto ainda entregassem seu vibrante cabelo.
— Este é um véu branco. É usado por noviças antes de trocarem pelo preto. Assim, não será totalmente mentira que você pareça uma jovem contemplando uma vida religiosa. Afinal, você foi buscar conforto na capela de Santa Maria quando chegou ao Rio. Muitas de nós recebem o chamado vocacional de maneiras misteriosas.
Apesar de ela ainda ser virgem aos 24 anos, Clare não acreditava que seu futuro fosse seguir uma vida de devoção religiosa. Mark a chamara de puritana, mas ela não se considerava isso. Simplesmente quisera ter certeza de que ele fosse o homem certo. E não era.
A Inglaterra e o fim do relacionamento com Mark pareciam tão distantes agora, e Clare se perguntou se acordaria para descobrir que o sequestro de sua irmã fora apenas um pesadelo. Na manhã de segunda, ela chegara para trabalhar como de costume, na empresa de seus pais, a A-Star Relações Públicas, e recebera um frenético telefonema de seu pai com a notícia de que sua irmã mais nova, Becky, uma modelo internacionalmente famosa, fora sequestrada.
— Os sequestradores enviaram uma carta dizendo que vão matar Becky, a menos que sigamos as instruções deles. — Rory Marchant soara abalado. — Eles querem que eu vá ao Brasil pagar o resgate, mas não posso deixar sua mãe e não ouso contar a ela que a vida de Becky está em perigo. O especialista disse que é importante que Tammi não sofra nenhum tipo de estresse. Ela teve sorte de sobreviver ao primeiro derrame. Um segundo poderia matá-la. — Rory desmoronara. — Clare, não sei o que fazer. Quero salvar minha preciosa menina, mas não quero perder minha esposa.
— Eu vou ao Brasil levar o dinheiro aos sequestradores.






Amante da Vingança

ROMANCE CONTEMPORÂNEO


O diamante mais precioso!

Cruz Delgado não é mais o menino que cresceu nas ruas. 

Agora ele é dono de um império de diamantes e possui quase tudo o que deseja. 
A aristocrata Sabrina Bancroft foi a única mulher que ousou abandoná-lo. 
E Cruz encontra a oportunidade perfeita de se vingar quando fica sabendo que ela perderá a propriedade da família. 
Cruz está decidido a ajudá-la… se Sabrina aceitar ser sua amante. 
Contudo, descobrir o motivo pelo qual ela o deixara mudará para sempre a vida desse poderoso magnata!

Capítulo Um

O honorável Hugo Ffaulks, com dois efes, estava bêbado, vomitando num vaso. E não era um vaso qualquer, percebeu Sabrina, irritada. Era um vaso de porcelana inglês do século XVIII, avaliado em 1.500 libras esterlinas.
Na atual crise financeira de Sabrina, ela precisava de cada centavo, e vender aquele vaso ao menos lhe permitiria pagar os salários dos funcionários e do ferrador de cavalos.
Ela franziu o cenho. Se ao menos os cavalos não precisassem de ferraduras novas a cada seis semanas... O custo do ferrador, das contas de veterinários, de ração e feno significava que Monty estava se tornando uma despesa que ela não conseguiria justificar. Um vendedor de cavalos garantira que ela conseguiria um bom preço por um puro-sangue de 7 anos, mas a ideia de vender Monty era insuportável.
Ela voltou sua atenção para Hugo, que se apoiava num dos outros convidados da festa, tentando cambalear na direção do bar.
— Leve-o para a cozinha e dê café puro para ele — falou Sabrina para o amigo de Hugo. Ela desejou poder telefonar para o brigadeiro Ffaulks e lhe pedir para vir buscar seu filho, mas os pais de Hugo haviam pagado a ela uma quantia considerável para organizar a festa de 21 anos dele em Eversleigh Hall. Hugo e cinquenta amigos dele tinham chegado na noite anterior e passariam o fim de semana ali, praticando tiro e pescando no lago particular.
Abrir Eversleigh Hall para casamentos e festas fora a única maneira que Sabrina encontrara para pagar os imensos custos operacionais da mansão até o retorno de seu pai. Se ele retornasse. Ela deixou imediatamente de lado seus medos em relação ao conde e sorriu para o idoso mordomo que atravessava rigidamente a sala de visitas.
— É melhor eu pegar um esfregão e limpar a sujeira, srta. Sabrina.
— Deixe comigo, John. Não quero que você limpe a bagunça dos meus convidados. — Sabrina não conseguiu disfarçar o tom melancólico em sua voz. O mordomo sabia que ela detestava ver Eversleigh Hall ser tratado daquela maneira por Hugo e seus amigos, que se comportavam como animais. E isso era uma ofensa aos animais, pensou ela ao ver uma convidada acendendo um cigarro. — Quantas vezes preciso repetir que não é permitido fumar dentro da casa? — resmungou ela.
— Eu acompanho a jovem até o jardim — murmurou John. — Há uma visita, srta. Sabrina. Faz alguns minutos que o sr. Delgado chegou.
Ela ficou rígida.
— Delgado? Tem certeza?
— Absoluta. Arriscaria dizer que é um cavalheiro estrangeiro. Ele disse que queria falar sobre o conde Bancroft.
— Meu pai!




Série Noites em Las Vegas

1- O Dobro ou Nada
ROMANCE CONTEMPORÂNEO

Dez anos atrás, Shelby Paxton recebeu um milhão de dólares para sair de Las Vegas e abandonar Hayden MacKenzie no altar. 

Agora ela está de volta, e Hayden fará de tudo para conseguir a noite de núpcias que Shelby lhe deve. 
Porém, ela acaba se apaixonando novamente por seu primeiro amor. Será que Shelby conseguirá reconquistar o poderoso Hayden?





2- Blefando para Conquistar

A diretora Raine Montgomery fica ultrajada ao escutar Scott Rivers apostando que a levaria para a cama antes de o torneio de pôquer terminar. 

Ele pode ser um jogador habilidoso, mas Raine se recusa a ser usada! 
Então, decide criar as próprias regras: ela se renderá à sedução de Scott. E, no momento certo, irá abandoná-lo! 
Porém, Raine não contava que fosse tão impossível resistir aos encantos dele!


3- Apostando para Ganhar

Ao conhecer a bela Roxy O’Malley, o poderoso magnata Max Williams não consegue pensar em outra coisa além de conquistá-la. 

Por mais que soubesse que seus segredos colocariam a reputação de Max em risco, Roxy não consegue resistir ao desejo que sente por ele. 
Afinal, seu passado poderia ficar escondido por mais uma noite. Porém, ela não esperava que Max fosse pedi-la em casamento…





Série Noites em Las Vegas
1- O Dobro ou Nada
2- Blefando para Conquistar
3- Apostando para Ganhar
Série Concluída



Projeto de Sedução

ROMANCE CONTEMPORÂNEO

Sua arma era a sedução!

Quando Molly se transformou em uma ruiva estonteante, toda a população masculina de Sídnei passou a cortejá-la. 
Mas aquele novo visual tinha uma única finalidade: atrair Liam Delaney. 
Sim, ela o amava desesperadamente e queria muito que esse amor fosse retribuído. 
Embora nunca tivesse tido um relacionamento íntimo, Molly decidiu que havia chegado a hora de se entregar de corpo e alma a seu projeto de sedução. 
Afinal, poderia estar mais glamourosa e sedutora depois que pintara os cabelos, mas, interiormente, continuava a ser a mesma virgem, inexperiente e apaixonada de sempre...

Capítulo Um

“Vinte e cinco anos hoje!", Molly pensou enquanto escovava os cabelos castanhos que caíam na altura do ombro. "Um quarto de século! Como pode ter passado tão rápido?!"
Suspirando, ela colocou os grampos no coque e nem precisou olhar para o que estava fazendo. Vinha usando aquele tipo de penteado há tanto tempo que até perdera a conta. Era rápido, prático e, o melhor de tudo, barato, não precisava gastar um único centavo no cabeleireiro para prepará-lo. Esse dinheiro economizado era de grande importância para Molly, pois ela tinha de ajudar a mãe a pagar a hipoteca da casa em que moravam.
Ainda estava pensando em seus problemas financeiros quando finalmente olhou-se no espelho e contemplou o resultado de seus esforços. Ora, não havia qualquer dúvida de que ela era o verdadeiro estereótipo da bibliotecária eficiente. O penteado era apropriado e discreto, a blusa tinha mangas na altura dos cotovelos e gola alta, para completar a saia pregueada cobria-lhe os joelhos e os óculos de aro dourado davam-lhe um ar intelectual.
Engraçado, se fechasse os olhos podia lembrar de si mesma na manhã de seu aniversário de quinze anos e nada, ou quase nada, tinha mudado desde então.
Continuava morando com a mãe, era tão tímida e comum quanto fora quando adolescente e, pior, ainda amava Liam Delaney desesperadamente.
Havia momentos em que Molly tinha raiva de si mesma por permitir que tal sentimento continuasse a tomar conta de seu coração. Se fosse esperta, teria esquecido Liam há muito tempo!, ficava repetindo para si mesma. Era masoquismo amá-lo. Sim, puro masoquismo. Ele jamais retribuiria seus sentimentos. Jamais!
Claro que, depois de muita desilusão, ela não se entregava mais às fantasias da adolescência, onde imaginava Liam acordando em uma linda manhã ensolarada para, como num passe de mágica, descobrir que o sentimento que tinham um pelo outro não era apenas a velha amizade platônica que mantinham desde a infância, mas sim a mais profunda e avassaladora paixão. Oh, não, assim que fez vinte e um anos, Molly baniu de vez aquela fantasia ridícula para longe e preferiu ficar mais próxima da realidade. Além do quê, era difícil preservar tal sonho quando estava sempre vendo o tipo de garota que Liam costumava trazer para casa.
A palavra comum jamais poderia ser usada para descrever tais mulheres e muito menos os termos intelectual ou "rato de biblioteca", como Molly sempre fora chamada pelos amigos.
Na verdade, as namoradas de Liam eram muito mais admiradas por seus corpos esculturais do que pelo intelecto. Ele gostava de mulheres altas, bronzeadas, com pernas longas e bem torneadas, seios fartos e cabelos que pareciam recém-saídos de um anúncio de xampu.
Molly reconhecia que tinha os seios certos, mas nada no mundo poderia lhe acrescentar os quinze ou vinte centímetros que precisava para superar seus um metro e sessenta e chegar à altura de uma modelo profissional. Havia também o detalhe dos cabelos; embora os seus estivessem sempre sedosos e brilhantes, eram daquela tonalidade comum de castanho que não seria capaz de chamar a atenção de quem quer que fosse.
Portanto, tinha desistido de seus sonhos de adolescente em relação a Liam. Ele nunca trocaria uma das beldades esculturais pela garota mais comum e normal do bairro!





Visitante da Noite

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Beatrix acorda de repente no meio da noite. 

Um corpo masculino pressiona o seu, braços fortes enlaçando-lhe a cintura! 
Como pôde ser tão ingênua a ponto de aceitar hospedagem numa casa estranha, habitada por um solitário e excêntrico morador? Apavorada, percebe que John Courtland está completamente nu! 
O homem a abraça cada vez mais forte e ela sente um arrepio de excitação. Beatrix sabe que não vai poder resistir...

Capítulo Um

Beatrix tinha experiência em se perder. Aquilo era algo que fazia sempre e, diga-se de passagem, muito bem. Atalhos estreitos e lamacentos eram infinitamente mais atraentes do que auto-estradas modernas e, se por acaso uma escolha insensata a levasse a algum lugar bizarro, ela não se importava. Na verdade, ser impulsiva era uma coisa bem divertida. Afinal, a vida não tinha graça sem um pouco de risco, sem um toque de perigo e desafio.
Aquela noite, entretanto, ela estava completamente apavorada. Com direito a coração disparado, estômago embrulhado e mãos geladas.
Um raio ameaçador cortou o céu, bem a sua frente, os trovões ensurdecedores fazendo seu Volkswagen tremer como folha ao vento. A chuva batia no pára-brisa com tanta força que os limpadores mal davam conta do recado.
O céu estava preto, o que, aliás, não causava espanto, considerando-se que já era quase meia-noite. A estrada de terra tinha se transformado num enorme lamaçal, que parecia prestes a engolir seu pobre carrinho... com a dona dentro.
Beatrix havia passado aquela última hora torcendo para que a tempestade parasse. Não parou. E quase fizera promessa para encontrar um lugar, um hotel de beira de estrada, um posto de gasolina, uma casa, qualquer coisa, onde pudesse se abrigar. Não encontrara.
Mais de uma dezena de raios cortaram o céu, iluminando a paisagem desolada das planícies de Dakota do Sul. Sob as luzes da tempestade, aquele lugar parecia tão estranho e assustador como o solo de Marte.
E igualmente deserto.
De qualquer modo, ninguém jamais poderia chamar Beatrix Reynaud de medrosa. Havia visitado o Parque Nacional da cidade naquela mesma tarde e o achara lindo. Tinha visto as nuvens pretas no céu, sabia que a tormenta viria logo, mas tal detalhe não tivera o dom de assustá-la. A tempestade que se formava fizera com que a paisagem ganhasse nova vida, um colorido todo especial. Aquela vista ficaria gravada em sua mente para sempre.
Não se arrependia por ter feito aquele passeio. No entanto, em alguns momentos de sua vida, desejava que os sermões de seu pai tivessem tido algum efeito em sua personalidade. Raoul Reynaud fizera tudo o que estivera a seu alcance para incutir um pouco de responsabilidade na cabeça de sua filha caçula.
Não tivera muito sucesso.





Um Presente de Aniversário

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
A Dra. Lynda Fischer observa, extasiada, o desconhecido fazer strip-tease ao ritmo de uma música sensual, em seu consultório. 

Com o corpo de uma beleza escultural, Kent é o seu “presente” de aniversário... Lynda não tem forças para interromper o show e, quando ele vai retirar a última peça da roupa, ela ordena, atordoada: “Saia daqui!”
Em resposta, Kent aproxima-se e a beija apaixonadamente!


Capítulo Um

A Dra. Lynda Fisher encolheu-se dentro do avental branco quando outra peça da indumentária masculina voou em sua direção, as maçãs do rosto latejando com o calor que se espalhava por sua pele de marfim.
Apesar de todo o embaraço, não conseguia despregar os olhos do homem quase nu que se balançava, com ritmo, no meio da sala de espera do consultório dos drs. Kelsey e Fisher. Como se atraída por um poderoso imã, observava uma única gota de suor que escorria devagar no meio do peito dele, desaparecendo recatadamente na faixa elástica visível através da braguilha aberta. Forçou a ponta da língua por entre os lábios cerrados antes de sacudir a cabeça para livrar-se do manto hipnótico que se abatera sobre ela. O ruído do velcro se abrindo a assustou. Fechou os olhos com força, como que para se defender... mas só por uma fração de segundo. A forte curiosidade feminina fez com que os abrisse de novo. Engoliu com força, a boca seca.
As calças dele haviam desaparecido. Abruptamente separadas pelas costuras do velcro, a parte da frente fora parar ao lado do aquário, no canto da sala, e a parte de trás amontoava-se num bolo de couro preto sob seus pés descalços. A respiração de Lynda ficou presa à garganta. As coxas do homem eram só nervos e músculos sob a leve penugem escura e encaracolada. Até seus pés, dançando sobre o carpete, eram sexy. Aquele show, ou que nome tivesse, precisava ser interrompido. Porém os instintos primitivos de Lynda subiram à tona. Estava disposta a cortar a língua da primeira pessoa que sugerisse parar o show.
Aquilo era totalmente antiprofissional e antiético, sua consciência civilizada argumentava. E se perdesse a licença de optometria? Felizmente o dr. Kelsey se encontrava em casa, recuperando-se de um ataque cardíaco. Uma performance como aquela, bem no meio da sala de espera, com certeza retardaria sua recuperação, caso não provocasse outro ataque. Ela deu graças porque John, o técnico do laboratório, e a garota que trabalhava como arquivista também não se achavam no consultório no momento. John se sentiria tão embaraçado que bem poderia desistir de trabalhar com ela e Sherrie tinha apenas dezesseis anos, jovem demais para assistir a coisa semelhante.
Lynda deveria ter interrompido aquele... aquele show antes que começasse. Iria interrompê-lo agora. Mas ele dançava tão bem! Oh, que seja apenas um sonho! Aquele homem povoava as fantasias de todas as mulheres. E era o “presente” dela.
Uma música sensual espalhava-se pelo consultório pelo intercomunicador. Um homem incrível estava tirando a roupa a um metro de distância. Alguns pacientes e a maioria das recepcionistas do prédio amontoavam-se na sala de espera. Como teriam sabido a respeito... dele? Ela descobriria mais tarde. Não importava o quanto o homem demorasse para concluir o show, Lynda iria suportá-lo até o fim. E depois, teria uma conversinha com a irmã. O...





Jogo da Tentação

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Fruto proibido?

O que havia acontecido naquela noite fora especial, algo de que ela jamais se esqueceria... Porém, ela se perguntava o que havia significado para Gabriel... Teria sido algo que ele descartara, como um jogo de tentação? 
Ele havia dito que a achava tentadora, mas também dissera que ela era... perigosa. 
O que isso significava? 
E agora, quatro anos e meio depois, Rachel estava prestes a descobrir. Gabriel estava de volta...

Capítulo Um

— Ele está aqui!
Rachel soltou a cortina que havia afastado da janela e recuou um passo, em um movimento frenético. Com mãos trêmulas, ajeitou os cabelos castanho-claros, tentando dominar a ansiedade que tornava mais escuros os seus olhos cinzentos.
— Pontual, é claro.
Bem, Gabriel sempre fora rígido com seus horários. A única ocasião em que a fizera esperar, fora friamente planejada e a lembrança ainda fazia Rachel tremer.
— Afaste-se da janela, Rachel! — a mãe sussurrou, nervosa, como se temesse ser ouvida pelo homem que, naquele momento, abria a porta do Jaguar azul. — Se ele perceber que você está espiando...
— Esta janela não é visível do interior do carro — Rachel assegurou-a, embora obedecesse a ordem.
Afinal, estando nos degraus da entrada da casa, ele agora poderia vê-la com facilidade.
Rachel respirou fundo, lutando para controlar as emoções caóticas, que ela nem sequer estava preparada para admitir. Não queria demonstrar o nervosismo que a chegada de Gabriel lhe despertava, depois daqueles quatro anos e meio de separação.
O som da campainha ecoou pela casa, deixando mãe e filha ainda mais tensas. Em seguida, as duas ouviram os passos da empregada que foi abrir a porta.
— Ah, Rachel, simplesmente não sei como vou suportar essa situação! — Lydia Tiernan murmurou. — Sempre jurei que se aquele homem voltasse a pôr os pés nesta casa, eu sairia imediatamente. Prefiro morrer a viver sob o mesmo teto que ele!
— Tenho certeza de que é exatamente isso o que ele quer, mamãe. Não me refiro à sua morte, embora ele certamente encararia o fato como a grande solução para os seus problemas. A questão é que a simples menção de partir o colocaria em posição de vantagem.
— Está dizendo que partir seria o mesmo que fugir?
— Sim. E, ainda, daria a ele o direito de posse de nove décimos...
Rachel deu-se conta de que não seria necessário continuar, uma vez que a expressão da mãe havia mudado completamente. Os lábios de Lydia adquiriram firmeza e seus olhos, ligeiramente mais escuros que os da filha, exibiram o brilho da determinação.
— Não tenho a menor intenção de permitir que Gabriel fique com nada do que me pertence, por direito — declarou. — Ele já possui mais que o suficiente e não vou...





quarta-feira, 5 de abril de 2017

Feita para Você

ROMANCE CONTEMPORÂNEO


Ao encontro do destino!

Sean Kowalski mal chegou em casa após sair do exército e já foi recrutado por Emma Shaw para uma difícil missão: fingir ser seu noivo. 
Para tranquilizar a avó, ela quer mostrar que está em um relacionamento estável e feliz. 
Apesar de Sean detestar mentiras, ele definitivamente precisa do emprego que Emma lhe ofereceu em troca de sua ajuda. E por mais que se sinta atraído por ela, Sean não quer se apaixonar ou criar raízes em uma cidade grande. 
Emma também não pretende namorar um homem que chama de lar qualquer lugar onde larga a sua mala, ainda que os beijos de Sean a deixem com as pernas bambas.

Capítulo Um

— Continua como sempre, pelo que estou vendo.
Sean Kowalski fez um gesto obsceno com o dedo médio ao homem atrás do balcão e pousou a mochila no chão ao lado de um banco vazio.
— Mal de família, primo.
Como ambos mediam mais de 1,80m de altura, trocaram um breve abraço por sobre o balcão, e Kevin bateu-lhe nas costas.
— Estou feliz por você ter voltado para casa.
— Eu também.
Sean sentou-se no banco do balcão e tomou um longo gole da cerveja que Kevin colocou à sua frente.
— Desculpe por não ter ido ao seu casamento e ao de Joe.
— Estava arriscando a pele no Afeganistão. Não podemos ficar aborrecidos com você por causa disso. Só um pouco.
— Ainda não posso acreditar que vocês dois encontraram mulheres dispostas a se tornar senhoras Kowalski. O que há de errado com elas?
Kevin lançou-lhe um sorriso.
— São as covinhas, cara. As mulheres não resistem a elas. Para o seu azar, nós as herdamos da nossa mãe, e só o que você conseguiu foi ter os olhos azuis do seu pai.
— Para mim é o suficiente. Como vão seus pais?
— Bem. Estão ansiosos para revê-lo, e mamãe fez lasanha para esta noite.
Sean sorriu e esfregou o estômago.
— Não parei para almoçar; logo, tenho espaço de sobra. Sinto falta da minha mãe em muitas coisas, que Deus a tenha, mas a comida não é uma delas. Mas tia Mary... Nossa, a mulher cozinha muito.
Kevin assentiu e, em seguida, afastou-se por um minuto para pegar uma garrafa de água.
— Então, está desempregado. Vai filar a comida da minha mãe e ocupar um dos meus apartamentos. Era de se esperar que o Exército o transformasse em um homem, não em um inútil.
— Doze anos foram suficientes. Não sei o que quero fazer agora, mas meu desejo é diversificar.
— Não tem interesse em voltar para o Maine e ajudar seu irmão a gerir a hospedaria?
Sean deu de ombros. Na verdade, havia pensando nessa possibilidade, especialmente quando dissera aos irmãos e à irmã que ficaria com os parentes de Nova Hampshire por algum tempo. Mas passar o resto da vida na Northern Star Lodge não era algo que gostaria de fazer. Quando criança, odiava estranhos circulando por sua casa, e jamais superara isso. Não nascera para ser gerente de hospedaria.
— É um plano B — respondeu.
Kevin tomou um gole de água e tampou a garrafa.
— Sabe que estou apenas brincando. Pode ficar aqui o tempo que quiser.
— Agradeço. Quando me encher da comida de tia Mary, poderei ir para casa ou... sei lá para onde. — Aquela era uma das razões que o fizera decidir deixar o Exército. Não havia nenhum lugar para ir no dia seguinte. Ou no dia depois do seguinte.
Naquele momento, uma ruiva alta de seios fartos saiu de uma sala nos fundos e Kevin acenou, chamando-a.
— Este é meu primo Sean. Sean, esta é Paulie Reed, minha balconista-chefe, gerente, meu braço direito...

Série Família Kowalski
3- Feita para Você
4- All He Ever Needed - a revisar
5- All He Ever Desired
6- All He Ever Dreamed
6.5 Alone With You
7- Love a Little Sideways
8- Taken with You
9- Falling for Max
Baixar em Séries

Rebelde

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
O homem mais misterioso do Texas!

Seja nos rodeios ou nas festas de Jacobsville, Harley Fowler sempre se mete em confusão, mas acaba saindo ileso. 
Até encontrar a talentosa investigadora Alice Jones. 
Ela está tentando desvendar um assassinato que envolve a família de Harley, transformando a vida dele em um verdadeiro caos. 
Ainda assim, tudo o que Harley consegue pensar é em proteger Alice. 
Porém, ela é uma mulher obstinada e acha que não precisa da ajuda de ninguém. 
E esse infame bad boy está disposto a usar todas as suas armas de sedução para fazê-la mudar de ideia!

Capítulo Um

Harley Fowler olhava tão atento para sua lista de tarefas que colidiu com uma jovem morena, ao entrar na loja de ferragens, em Jacobsville, Texas. Ele olhou para cima, chocado, quando ela caiu de encontro à porta aberta, encarando-o.
— Já ouvi falar de homens que se enterram no trabalho, mas isto é demais — disse ela com um olhar expressivo. Em seguida, passou a mão pelo cabelo preto curto, sentindo uma pontada de dor no local onde batera na porta. Seus olhos azuis encontraram os dele, que possuíam uma tonalidade de azul mais clara. Ela notou que ele tinha cabelo castanho-claro e usava um boné de beisebol que lhe caía muito bem. Parecia sexy.
— Não estou enterrado no trabalho — retrucou ele seco. — Estou tentando voltar ao trabalho, mas as compras estão me impedindo.
— O que não justifica sair agredindo as mulheres com portas. Não é? — ponderou ela.
Os olhos de Harley flamejaram.
— Não a agredi com uma porta. Você se chocou contra mim.
— Eu não. Você estava olhando tão atento para esse pedaço de papel que não veria um trem de carga se aproximando. — Ela olhou por sobre o braço dele para espiar a lista. — Tesouras de podar? Dois novos ancinhos? — Contraiu os lábios, mas fitou-o com um brilho de divertimento no olhar. — Por certo é jardineiro de alguém — disse, reparando em seus sapatos enlameados e boné de beisebol.
Ele franziu o cenho.
— Eu não sou um jardineiro — afirmou, indignado. — Sou um cowboy.
— Não é mesmo!
— O que disse?
— Não tem um cavalo, nem chapéu de cowboy e nem uma chaparreira. — Ela olhou para os pés dele. — Nem está usando botas de cowboy!
Harley fitou-a boquiaberto.
— Você acabou de escapar da terapia intensiva?
— Eu não estava em terapia nenhuma — respondeu ela com altivez. — Meu temperamento é tão singular que não poderiam me classificar nem mesmo com a última edição do DSM-IV, muito menos tentar me analisar!
Ela se referia a um volume clássico de psicologia usado para diagnosticar pessoas com transtornos mentais. Ele com certeza não fazia ideia do que ela estava falando.
— Então você sabe cantar?
Ele a fitou atônito.
— Por que eu saberia cantar?
— Cowboys cantam. Eu li em um livro.
— Você sabe ler? — perguntou ele, fingindo surpresa.
— Por que pensou que eu não saberia? — perguntou ela.
Harley apontou para a placa na porta da loja de ferragens que dizia claramente, em letras garrafais, PUXE. Ela estava tentando empurrá-la.
Ela soltou a porta e deslocou o peso do corpo para o outro pé.
— Eu reparei nisto — argumentou na defensiva. — Só queria saber se você estava prestando atenção. — Ela inclinou a cabeça na sua direção. — Tem uma corda?
— Por quê? Está planejando se enforcar?
Ela suspirou tentando ser paciente.
— Cowboys carregam cordas.
— Para quê?
— Para laçar o gado! 



Marido no Papel

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Onde está escrito que a filha de um fazendeiro precisa se casar com um cowboy alto, bonito e sedutor se quiser manter o rancho da família? 

No testamento do pai dela! 
E Dana Mobry acaba de descobrir que o seu marido de conveniência é ninguém menos do que Hank Grant, o texano mais sensual que ela já viu!






Capítulo Um

O sol de verão já estava alto. A julgar por sua posição no céu, Dana Mobry supunha que deviam ser quase 11h. O que significava que estava naquela situação deplorável havia duas horas e o dia ficava cada vez mais quente.
Suspirou com resignada tristeza, enquanto olhava para a perna direita, onde o jeans se encontrava irremediavelmente preso por dois fios soltos de arame farpado. O pé calçado com uma bota enredara-se na teia de arame farpado que compunha a cerca e a perna esquerda enroscara-se nele quando ela se contorcera ao cair. 

Estava tentando consertar a cerca para manter o gado preso do lado de dentro. Usava as ferramentas do pai, mas infelizmente não possuía a força dele. Em momentos como aquele, sentia uma falta dolorosa do pai e só havia se passado uma semana do seu funeral.
Dana suspendeu a gola da blusa de algodão de manga curta e prendeu algumas mechas soltas de cabelo louro e úmido de volta à trança impecável. 

Não tão impecável agora, pensou, devia estar desgrenhada pela queda que a lançara naquela trapalhada. Próximo dali, alheia ao dilema da dona, sua égua marrom, Bess, pastava tranquila. Lá no alto, um falcão traçava desenhos graciosos contra o céu sem nuvens. Ao longe, podia-se ouvir o som do tráfego na autoestrada distante, que circundava Jacobsville, levando ao rancho Texas, onde ela se encontrava enrolada em uma cerca de arame farpado.
Ninguém sabia onde ela estava. Vivia sozinha na pequena casa decadente que dividia com o pai. Haviam perdido tudo após a mãe os abandonar sete anos atrás. Depois daquele choque terrível, o pai, que fora criado em um rancho, decidiu voltar e se estabelecer no local onde sua antiga família morara. Não havia outros parentes, a menos que contasse um primo em Montana.
O pai de Dana suprira o local com um pequeno rebanho de gado de corte e cultivara uma horta. Era uma vida frugal, comparada à mansão próxima a Dallas que havia sido mantida com o dinheiro da mãe. 

Quando Carla Mobry de repente se divorciou do marido, ele foi obrigado a encontrar uma forma rápida de subsistência. Dana escolhera voltar com o pai para a casa onde ele vivera a infância em Jacobsville, em vez de aturar a presença indiferente da mãe. Agora o pai morrera e ela ficara sozinha.
Dana amara o pai e ele a amara também. Eram felizes juntos, mesmo com os parcos rendimentos. Porém, a tensão do árduo trabalho físico exercida sobre um coração, que ela não suspeitava ser fraco, fora fatal. Texas e mais Texas.




Encontro na África

ROMANCE CONTEMPORÂNEO






Os caçadores se moviam furtivamente em torno da barraca armada na clareira cercada pela densa selva africana. 

Lá dentro, Francesca estremeceu quando Cal a abraçou por trás e colou o corpo ao seu, a fim de protegê-la.
O desejo que a envolveu a fez esquecer do perigo que os ameaçava. 
Com o coração disparado, tentava imaginar uma maneira de fazer esse homem experiente deixar de vê-la como uma garota recém-saída do convento. Queria que ele despertasse a mulher sensual que havia nela.

Capítulo Um

Frankie parou diante da casa de número cinco da rua Regency, imponente com a fachada branca e degraus de mármore, e, intimidada pela austeridade da entrada, engoliu em seco e esfregou as mãos no vestido com nervosismo. 
O tecido bege parecia estranho ao toque, e ela franziu a testa. Sentia-se uma impostora com aquela roupa, e a detestava. Costumava usar calças justas e camisetas, ou vestidos esvoaçantes e de colorido brilhante em estilo indiano, mas sua tia Jenny insistira que ela precisava de um traje formal para ocasiões como aquela, e naquele dia tinha de reconhecer que a tia estava certa. 
Nenhuma de suas outras roupas seria adequada para uma entrevista para um emprego misterioso com um patrão completamente desconhecido.
Ergueu o olhar. A casa parecia deserta.
Bem, não importava, disse a si mesma com coragem forçada. Se não gostasse do tipo de trabalho, ou até mesmo do sr. Fenton, não precisaria aceitar. E provavelmente não gostaria. Não lhe agradara a maneira como fora chamada para vê-lo. 
Apertou o botão da campainha, levantou o queixo com um ar desafiador e esperou.
A sacola que levava era tão pesada que parecia cortar-lhe os dedos, então trocou-a de mão. Sua coragem frágil diminuía a cada minuto. Gostaria de fazer meia-volta e ir embora, mas sabia que não podia. Tinha de tentar; afinal que outra esperança havia de conseguir um emprego? Sem trabalho não teria dinheiro, portanto não poderia pagar o aluguel e seria forçada a voltar, em desgraça, para casa em Yorkshire.
Esperou mais alguns momentos e tocou a campainha outra vez. Então ouviu passos se aproximando, e uma mulher de meia-idade abriu a porta.
— O que deseja? — Seu tom era frio.
— Sou Frankie. Frankie O'Shea.
A mulher ergueu as sobrancelhas com um ar de espanto.
— Oh...
— Estava me esperando, não? — Frankie ficou ainda mais nervosa. Talvez tivesse se enganado quanto ao dia e estragado sua chance de conseguir aquele emprego antes mesmo da entrevista.
— Sim, sim. É que... 






Numa Tarde de Fantasia

ROMANCE CONTEMPORÂNEO


Simon lhe oferecia um mundo feito só de paixão.

Deitada sob a sombra de uma árvore, Caroline mantinha os olhos fechados para sentir a natureza. 
De repente, um som de passos fez-se ouvir. Ela não ousou abrir os olhos, quando lábios quentes apossaram-se de seus num beijo ávido. Tinha esperado tanto tempo por isso...
Abraçou o corpo forte daquele homem, jurando a si mesma nunca mais deixá-lo partir.
O choque que teve a seguir tirou-a de seu doce entorpecimento. Não era Michael quem a tinha beijado e a mantinha nos braços; era alguém que a desejava, apesar de Caroline pertencer a outro homem!

Capítulo Um

Caroline tinha estado deitada durante horas sobre a relva macia, à sombra de uma árvore frondosa e acolhedora, entregue a um sono agradável, povoado de sonhos e fantasias. Agora, já desperta, mantinha os olhos fechados, enquanto sons de verão enchiam seus ouvidos: o balir distante de uma ovelha, o canto de pássaros que cruzavam o céu, o sussurrar da brisa que agitava as folhas das árvores.
De repente, porém, um ruído discreto de passos sobre a grama alertou-a para o fato de não estar só. Não chegou a abrir os olhos, quando alguém se inclinou sobre ela para beijá-la.
Uma onda de felicidade a dominou e ela retribuiu o beijo sem hesitar, embora, por um instante, o recém chegado tivesse dado a impressão de querer se afastar. Passou os braços em torno dos ombros dele, deslizando depois a mão por suas costas, sensualmente. Ainda de olhos fechados, sentiu que os lábios dele se tornavam mais possessivos, o contato mais íntimo.
Nunca houvera momento tão intenso entre os dois antes. Mas também, Caroline concluiu, ambos tinham ficado separados por muito tempo. Agora, ele voltara para ficar, tinha certeza. Os longos anos de espera haviam, enfim, terminado. Uma forte excitação dominou-a, tornando-lhe a respiração ofegante e acelerada.
Quando os lábios se afastaram, ela entreabriu os olhos, preguiçosamente.
— Michael... — murmurou, devagar.
Foi quando a surpresa roubou-lhe as palavras. Levantou-se, olhando pasma para o homem sentado perto dela, os braços apoiados sobre as pernas, os olhos azuis contemplando-a, e um certo rubor aparecendo apesar do bronzeado da pele de seu rosto.
— Simon...! — ela exclamou, por fim, atônita.
— Sim... Eu mesmo, Simon.
— Pensei que fosse Michael — ela procurou se justificar.
— Sei disso.
— Bem...
— Bem? — ele repetiu.
— Gostaria de saber por que me beijou.
Ele riu gostosamente, jogando a cabeça para trás.
— Minha querida Caroline, diga-me: por que razão um homem beija uma garota bonita? Além disso, acho que usei a fórmula certa para despertar a Bela Adormecida! Bem, não pude resistir e isso é tudo. Embora eu deva admitir que não pretendia ser tão... como direi... ousado. A culpa, em parte, também coube a você.
— Já lhe disse. Pensei que fosse Michael!
— Ah...!




sábado, 1 de abril de 2017

Amor Desvendado

ROMANCE CONTEMPORÂNEO
Série Votos do Deserto
Mãe, rainha… e amante?

Para o sheik Tariq de Al Sarath, um casamento já havia sido suficiente. 
Com um reino para governar, ele não tem tempo nem vontade de encontrar uma nova esposa. Porém, seus herdeiros precisam de uma mãe. E a princesa Samira de Jazeer é a candidata ideal. 
Por não poder gerar os filhos que tanto quer, ela aceita fazer parte da família de Tariq. Com uma condição: nada de sexo! Samira acreditava que os deveres reais e o amor pelas crianças preencheriam o vazio em seu coração. 
Contudo, ela não esperava sentir um desejo que só poderia ser saciado pelas carícias sedutoras do poderoso sheik.

Capítulo Um

Os bebês de cabelos escuros que brincavam em uma das extremidades do suntuoso saguão do hotel chamaram a atenção de Samira. Não estavam fazendo bagunça. A mulher de meia-idade que os acompanhava estava cuidando deles. Eram crianças quaisquer.
Ainda assim, não conseguia desgrudar os olhos deles. Observou um deles caminhando ao lado do sofá, seus dedinhos se apoiando na superfície sedosa. Fez um ruído de felicidade e gritou para o companheiro que tentava se equilibrar atrás dele. Samira engoliu seco. Aquele vazio estava voltando, pior agora, tornando-se uma pontada de mágoa que se prolongava do útero até a parte inferior das costelas. Tentou se concentrar na conversa animada de Celeste sobre um restaurante novo. Ele tinha uma vista privilegiada para a Torre Eiffel e várias estrelas no catálogo Michelin. Era o novo lugar da moda. Sentia o estômago revirar só de ouvir falar de comida.
Ou talvez fosse por algum outro motivo.
O segundo bebê caiu sentado, agitando os bracinhos, e a mulher, avó? Babá?, pegou-o no colo. Os braços tensos de Samira relaxaram, desabando. Vazios. Ela desviou o olhar. Vazia. Era como se sentia. 
Nunca poderia segurar seu próprio bebê. O médico deixara bem claro. 
Havia conseguido se recuperar nos últimos quatro anos, mas nada apagava aquele vazio.
— Fico muito feliz que tenha conseguido vir ao leilão beneficente. — Celeste debruçou-se sobre as xícaras, e Samira voltou a olhar para a francesa. — O público vai adorar a princesa por trás desses lindos modelos. Sua doação vai render um bom dinheiro.
Samira deu um sorrisinho forçado, não se deixando intimidar por mais uma referência ao seu título.
Como filha, e agora irmã, do sultão de Jazeer, sabia bem que aquilo não era sinônimo de felicidade.
Seu coração disparou, mas manteve o olhar fixo em Celeste.
Era pragmática. Sua marca se tornara um sucesso graças ao seu nome. Ela deslanchara nos últimos anos. Sua clientela, com os maiores ricaços do planeta, gostava de lidar com quem entendia o seu mundo, com alguém que prometia total exclusividade e confidencialidade. Samira tinha tudo com que toda mulher sonhava e muito mais: independência, sucesso, riqueza.
Que direito tinha de querer mais?
Ainda assim, a dor persistia. Não adiantava pensar na sua sorte. De que adianta o sucesso quando se sente um grande… vazio?


Série Votos do Deserto
1- Descoberta no Harem
2- Amor Desvendado 
Série Concluída

Coração de Arcanjo

ROMANCE SOBRENATURAL
Série G.Hunters
Uma das mais cruéis Arcanjos do mundo desapareceu. 

Ninguém sabe se Lijuan está morta ou escolheu dormir o sono de um imortal. Mas com suas terras caindo no caos sob uma maré crescente de sede de sangue vampírica, uma misteriosa e antiga ordem de anjos conhecida como Luminata convoca todo o Cadre para discutir o destino de seu território.
Acompanhando seu amante arcangélico, Raphael, ao composto dos Luminata, a Caçadora da Sociedade transformada em Anjo, Elena, sente que nada é como parece. 
Os segredos ecoam dentro das paredes de pedra do composto, e quanto mais profundo Elena vai, mais feia é a escuridão. Mas nem Raphael nem Elena estão prontos para as verdades brutais escondidas dentro de verdades que mudarão tudo. 
Elena acha que sabe quem ela é... Nada jamais será o mesmo novamente.



Série G.Hunter
1. Sangue de Anjos
2. O Beijo do Arcanjo
3. Esposa do Arcanjo
4. Espada do Arcanjo
5. Tempestade do Arcanjo
6. Legião do Arcanjo 
7. Sombras do Arcanjo
8. Arcanjo Enigma
9. Coração de Arcanjo
Baixar em Séries

O Preço para a Redenção

APIMENTADO CONTEMPORÂNEO
Série Irresistível Paixão

A qualquer custo!

Daniil Zverev é conhecido como o magnata mais implacável do mundo. 
Ninguém sabe da crueldade e da rejeição que estão por trás de seu enorme sucesso. 
Contudo, Libby Tennent está cada vez mais perto da verdade.
Desde que entrara em seu escritório, a exuberante Libby abalou o coração endurecido de Daniil. 
Ele não costuma fazer favores, mas decidiu ajudar a pequena empresa de Libby. 
Daniil também sempre fugiu de relacionamentos, ainda assim, uma noite com Libby não foi suficiente! Será que esse poderoso russo está disposto a arriscar tudo para ficar com Libby?

Capítulo Um

Tecnicamente, Libby Tennent mentira.
Ela havia conseguido passar pelas portas giratórias douradas envidraçadas e atravessado o impressionante piso de mármore, e estava diante do elevador, quando um segurança uniformizado veio perguntar aonde ela estava indo.
— Tenho hora marcada com o sr. Zverev — respondeu Libby.
— Talvez. Mas, antes de pegar o elevador, primeiro é necessário se apresentar na Recepção.
— Oh, é claro — respondeu Libby despreocupadamente, tentando parecer que havia simplesmente se esquecido dos procedimentos.
Tudo naquele lugar era imponente.
Ele ficava em um prédio luxuoso em Mayfair. Mesmo antes de o táxi parar no endereço, Libby havia percebido que ver Daniil Zverev não ia ser a moleza que o pai dela insistira que seria.
Libby caminhou até a recepção e repetiu a história para uma recepcionista muito elegante, dizendo que tinha hora marcada para se encontrar com o sr. Zverev, torcendo em silêncio para que a mulher não percebesse que o compromisso estava, na verdade, marcado para o pai dela, Lindsey Tennent.
— Seu nome?
— Tennent. — Libby observou a recepcionista digitar os detalhes e a viu estreitar sutilmente os olhos, focando na tela do computador.
— Um momento, por favor. Ela pegou o telefone e repassou as informações.
— Estou com uma srta. Tennent. Ela diz ter hora marcada com o sr. Zverev. — Houve uma pausa momentânea, e então ela olhou para Libby. — Seu primeiro nome?
— Libby — disse ela. Então, pensando que, dada a segurança do local, eles provavelmente iriam pedir um documento oficial para a identificação, ela corrigiu. — É um apelido para Elizabeth.
Libby tentou parecer calma e evitou brincar com uma mecha de seus cabelos loiros ou bater o pé. Mas ela estava nervosa. Não nervosa, exatamente, mas desconfortável por ter concordado em fazer isso.
Mas talvez ela não precisasse estar, pois a recepcionista colocou o telefone no gancho, balançando a cabeça.
— O senhor Zverev não pode vê-la.
— Desculpe? — perguntou Libby, não só por causa da recusa, mas porque ela fora até ali sem nenhum pedido de desculpas ou explicação. — Como assim, eu preciso...?




Série Irresistível Paixão
1- O Preço para a Redenção
2- O Preço do Proibido
3- Coração sem Passado - a revisar
4- Aprendendo a recomeçar - a revisar

O Preço do Proibido

APIMENTADO CONTEMPORÂNEO 
Série Irresistível Paixão



O calor do prazer!

Clientes, mulheres, dinheiro, o CEO Sev Derzhavin é um mestre em conseguir tudo o que deseja.
E quando sua assistente pessoal pede demissão, ele não resiste ao desafio de fazê-la mudar de ideia. 
Naomi Johnson sabia que precisava se afastar antes que se entregasse à intensa atração que sente por seu chefe. 
Afinal, ele é famoso por partir o coração das mulheres com as quais se envolve. 
Porém, durante a última viagem de negócios, Sev faz uma proposta chocante para aliviar as tensões: uma única noite inesquecível de prazer!

Capítulo Um

Naomi acordou em uma cama muito quente e confortável. Em meio à escuridão, esperou pelo amanhecer, muito nervosa.
Na noite anterior, ligara para Andrew e terminara o seu compromisso.
Conforme o esperado, ele não recebera bem a notícia.
Mas, afinal, ele também não gostara quando ela fora para Nova York ficar com o pai. Na realidade, haviam rompido na véspera de Naomi partir; na manhã seguinte, Andrew aparecera no aeroporto de Heathrow com um anel de noivado, dizendo que ia esperar por ela.
No momento, ela não pensava nisso com ternura, fora deixada de lado, bem sabia, precisara desses meses de separação para entender que concordara com o noivado sob pressão e que não precisava de Andrew e de sua bondade para se ausentar.
Estava feito, e Naomi já não pensava em Andrew. Agora estava nervosa e temia a conversa que teria nesse dia. Com Sev.
É claro que Andrew perguntara se havia outro homem, e Naomi hesitara demais para responder. Não, não havia ninguém, dissera por fim, e era a verdade. Mais ou menos.
Naomi já trabalhava para Sev havia três meses e, sim, ele tentara duas vezes.
Uma vez, quando estavam há horas no seu jato na pista de decolagem em Mali, ele largara o livro que sempre lia nas decolagens e sugerira que ela fosse se deitar um pouco.
Com ele por cima. Ou ela podia ficar por cima. Costumava ser magnânimo, dissera.
A outra vez fora em Helsinki, quando fora até a suíte dela a fim de discutirem uma reunião comercial e avisara que mudara sua senha de segurança. Naomi tomava nota quando Sev se declarara curado de sua mania por louras.
E sugerira que fossem para a cama. Naturalmente, Naomi respondera que, por mais que se sentisse lisonjeada com a oferta, continuava noiva e nunca se envolveria com o patrão.
Sevastyan era a pessoa menos romântica que já conhecera.
E Naomi estava louca por ele.



Série Irresistível Paixão
1- O Preço para a Redenção
2- O Preço do Proibido
3- Coração sem Passado - a revisar
4- Aprendendo a recomeçar - a revisar